Dúvidas

O que é o Ligamento Cruzado Anterior (L.C.A.)?

O joelho é maior e mais complexa articulação do corpo e depende basicamente de 4 complexos ligamentares: anterior, posterior, medial e lateral.

O L.C.A. conecta a parte da frente da tíbia (osso da perna) à parte posterior do fêmur (osso da coxa) e controla o movimento de deslizamento anterior da perna.

 

Como é diagnosticada a lesão do L.C.A.?

Na maioria das vezes a lesão do L.C.A. causa desconforto suficiente justificando consulta médica. No exame físico o especialista consegue, com base na história clínica, detectar quais ligamentos estão rompidos. Confirmação do diagnóstico e avaliação adicional pode ser obtida com Ressonância Magnética.

Nos casos crônicos a queixa freqüente é o "falseio" (movimento anormal do joelho), principalmente durante atividades esportivas.

 

Como são tratadas cirurgicamente as lesões do L.C.A.?

Diversas abordagens cirúrgicas tem sido descritas nos últimos anos. A experiência mostrou que a sutura do ligamento raramente leva a sucesso. As técnicas mais recentes utilizam enxerto de tendões retirados do próprio joelho para reconstrução do ligamento lesado.

As opções são enxerto de tendão patelar (abaixo da rótula), tendões do semitendíneo e grácil (posteriores na coxa) e quadriceptal (acima da rótula). Com o tempo, o "novo L.C.A." é nutrido com suprimento sanguíneo e células tornando-se uma estrutura viva ancorada no fêmur e tíbia.

 

Como é diagnosticada a lesão meniscal?

O exame físico classicamente mostra sensibilidade aumentada na linha articular, derrame articular (liquido dentro da junta) e dor principalmente ao agachar. A ressonância magnética é útil para a confirmação e eventual diagnóstico de lesões associadas.

 

Como são tratadas cirurgicamente as lesões meniscais?

A cirurgia artroscópica para tratamento de lesão meniscais foi introduzida pelos japoneses nos anos 60. As lesões meniscais podem ser removidas ou suturadas por artroscopia. A meniscectomia parcial (retirada da lesão) substituiu a conduta do passado onde se utilizavam meniscectomias abertas totais. Pode ser realizada como procedimento em hospital dia (1 dia de internação) com mínima dor pós-operatória e rápido retorno às atividades. Este procedimento é indicado em pacientes sintomáticos com lesão não suturáveis. No momento da cirurgia, apenas a porção rompida do menisco é retirada, procurando deixar o máximo de menisco normal para comprometer ao mínimo a função articular e eventual degeneração.

A sutura meniscal deve ser considerada a partir de diversos fatores como idade, parâmetros mecânicos e biológicos ou seja, lesões localizadas na periferia dos meniscos são normalmente estáveis e com vasos sanguíneos, portanto com boa indicação para sutura. Em nossa prática clínica pessoal, avaliamos principalmente a estabilidade, extensão, tipo de lesão e o potencial de cicatrização de acordo a área mais ou menos vascularizada.

Os resultados da sutura meniscal são satisfatórios (82% em nossa experiência) quando realizada por cirurgião experiente. É interessante assinalar que a sutura do menisco pode e deve, quando possível, ser realizada durante a cirurgia do L.C.A. o que induz a uma melhor condição de cicatrização.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 Próximo > Fim >>

Página 1 de 4